segunda-feira, janeiro 18, 2016

o cinto



A madrugada respirava ainda o orvalho frio e delicioso quando ele despertou. Calçou as calças de pele de cabra e colocou o cinto. Saiu de casa sem comer, como sempre, e começou a caminhar.
A cidade tinha espaços verdes com árvores centenárias. Ao redor, penedos e rochas cinzentas olhavam para baixo, vigiando o movimento das plantas e folhas nos fortes mas flexíveis ramos das árvores mais novas , que naquele momento se agitavam calmamente em consonância com a leve brisa que soprava como um assobio de velho treinado.
Caminhou sessenta e dois minutos e tudo estava calmo; as primeiras pessoas a sair de casa faziam-no contentes por viver mais um dia na sua metrópole. Uma espirrou, tirou o lenço do bolso e assoou-se; outra olhava para sul e sorria para a lua em quarto minguante; outra conduzia freneticamente o seu carro; ele viu-os aos três. Ao ver o carro a descer rapidamente a avenida principal franziu o sobrolho. Nesse momento, uma folha, levada por uma  brisa mais forte, foi embater no vidro do condutor embriagado que se assustou e guinou para a esquerda, perdendo o controlo do veículo; este, como um bicho de conta acossado, deu várias voltas sobre si mesmo e parou ao lado da estrada, em cima de um relvado, como se estivesse a descansar.
Ele correu, tirou o homem do carro, e percebeu que o irresponsável tinha uma grave hemorragia na perna direita. Tirou o cinto e fez um garrote acima da ferida.
Deixou o homem e correu durante vinte sete minutos, até ao quartel. Depois de certeiras informações, quatro bombeiros deslocaram-se rapidamente com ele até ao local do sinistro. Mais tarde veio-se a saber: graças ao cinto de cabedal a vida do infeliz fora salva.
A partir desse dia passou a carregar uma dúzia de elásticos no bolso de dentro do casaco.

segunda-feira, janeiro 11, 2016

david bowie

Morreu david bowie aos 69 anos rodeado pela família vítima de cancro. as minhas condolência à sua família e amigos.

sábado, janeiro 09, 2016

passado futuro e presente

O passado é um abismo onde mergulho em apneia e com o devido cuidado para não ficar lá metido; o futuro é uma incógnita  onde vou colocando parêntesis, no meio está, onde surgem pontos finais de interrogação e exclamação, o presente, uma ponte a ligar esses dois grandes amigos que tenho.

sexta-feira, janeiro 08, 2016

aforismo

quando deixares de pensar no passado abres caminho para pensar no futuro e estás fora de ti; quando deixares de pensar no futuro abres caminho para pensar no presente e estás centrado em ti; e isso é condição, quem sabe se única, para viver plenamente.

sábado, novembro 14, 2015

Onde estás tu que não estás aqui?

É preciso reinventar a vida.
Cair em sentimentos mórbidos para deles sair, matando a angústia com o contentamento pelo aparecimento de uma coisa nova; pela criação de um novo sentimento baseado na auto-satisfação de se ter avançado um pouco na vida; de se ter atravessado mais um túnel sem luz. E assim, anda-se de queda em renascimento, de renascimento em queda.
Improvisando como uma necessidade vital, criando espaços novos dentro de nós mesmos, nos quais podemos arranjar espaço para...para cair de novo no vazio, na urgência de um novo algo novo, de uma nova criação, de um novo improviso. É preciso reinventar a vida.
E a falta que me fazes é imensa, dolorosa, mortífera. Contigo tudo seria mais fácil. O teu sorriso ilumina-me os olhos que dele extraem luz, conforto, alegria e amor. O teu riso é um regozijo.. O teu choro uma razão, a tua tristeza um desafio. Sem ti tenho de ser duplamente mais forte por que sou duplamente mais fraco. Sem ti navego e deambulo de livro em livro, de pessoa em pessoa, de lembrança em lembrança rumo a um esquecimento em que nem as palavras têm mais significado. Estas palavras que enchem o meu mundo rumo ao teu. Que surgem do teu mundo rumo ao meu. Sem ti não há troca, não há desenvolvimento, não há cumplicidade. Sem ti tudo está parado menos eu que continuo experimentando, como numa maldição, a vida e o rejuvenescimento versos a queda e as trevas gozando, como única salvação do meu lado e um sempre-novo e indescutível aliado, da criação e da improvisação, gozando da reinvenção da própria vida sem a qual adoeço de repente e morro num instante.
E tu...tu não estás aqui para que te possa dizer todos os dias com beijos e carícias como és grande, bela, importante e vital para mim. Não, tu não estás aqui.
Tu não estás...aqui.

sábado, agosto 08, 2015

Pensamento

Levanta os olhos para o horizonte sem perder de vista o que está perto de ti. Assim terás o infinito e o finito, o inatingível e o palpável. Estarás, enfim, em segurança.

segunda-feira, junho 01, 2015

jorge palma